2 de nov de 2016

O cristão e a sua Auto Estima! Como cuidar?

 

 Um dos tipos de obsessões das pessoas hoje é a questão da auto-estima, digo isso com relação a corrida desenfreada das pessoas para melhora-la com  diversas intervenções, de cirurgia estética a psicólogos as pessoas tem gastado com isso, tem pregado o auto-amor, caindo ao meu ver numa coisa ridícula facebookiana de narcisismo extremado.
    Não é porquê a modernidade trata mal o assunto, jogando tudo para os lugares comuns, os clichês, os chavões, que devemos ignorar tudo e achar que isso não nos pertence como cristãos. Não se pode jogar a água e a criança fora da bacia (um ditado velho), podemos devemos pensar em tudo em alto nível, com categorias bíblicas, o homem e a mulher devem ser bíblicos, devemos redimir a imagem e a semelhança de Deus pela escritura.
   Qual deverá ser a base da nossa auto estima como cristãos? a estética? a intelectualidade? uma suposta popularidade em determinado nicho? sucesso econômico? Já quero partir da ponto que a base da nossa vida e caminhada como homens e mulheres é o fato de que o amor de Deus é suficiente em nossas vidas, pois essas crises que as pessoas vivem é na verdade de aceitação, buscamos de alguma forma ser aceitos por uma ou mais pessoas, nos diluímos no meio da multidão para sermos palatáveis, perdemos nossas identidade, nossa essência, para intuitivamente "fazer o gosto" de determinadas pessoas. Aplicar a receita da aceitação não nos leva a bons lugares existencialmente falando, estamos falando de perca do nosso próprio "eu em cristo", sim eu pessoalmente creio num "eu" que é construído a imagem do criador e do salvador.
    As tentações em torno disso são muitas, pensamos em ceder a isso e tentar sim sermos agradáveis ao maior número possível de pessoas, muitos homens tentam se alterar para agradar ao sexo oposto com medo de serem reprovados, mudam convicções, mudam valores, tudo isso com um medo interior de ficarem sozinhos, isso não é bom. As mulheres também entram em obsessões com vistas a agradar o homem pelo medo instintivo de ficar só, são conflitos que vemos no dia a dia. Tenho Cada vez mais pensado que o melhor momento de conhecer alguém é quando não estamos preocupados com o que aquela pessoa vai achar de nós, não estou advogando que sejamos desagradáveis de propósito, ninguém gosta de gente inconveniente, chata, sincerona, mas que seja você , seja natural, busque melhorar para a glória de Deus, e para você, e quem tiver de enxergar você como homem e mulher que tem valor, enxergará, caso contrário, siga sua vida.
   Na Adolescência era bem comum agir de modo a querer fazer parte de uma galera, um grupo, oma coletividade, mas na fase adulta da vida já não cabe mais isso, Porém o que eu tenho percebido é uma Adolescência Geral, ou seja, todo mundo busca em demasia ser aceito custe o que custar, e isso tem levado o emocional de muita gente para o buraco. Pessoas cheias de machucados, de doloridos, frustradas, se perdendo por ai, não acho que isso valha a pena. 
   O amor de Deus é essencial para o ser, para o nosso equilíbrio emocional, desfrutar do amor dele, conhecendo-o, é o verdadeiro remédio para nossas rachaduras existenciais, precisamos mergulhar mais no ser de Deus, de olhar mais para Jesus, no sentido de assimilar ele em nossas vidas, dar cada passo conforme ele, ser doente é a regra nesse mundo, e podemos não perceber o quanto podemos estar assim por fazer parte da maioria, por isso devemos refletir muito sobre isso e discernir os caminhos de vida. 

Paz

Um comentário: