19 de nov de 2013

A decadência da mentalidade cristã

Olá amigos, encontrei um tempo para refletirmos um pouco juntos a respeito do pensamento e reflexão que envolve nossa Fé, e tenho pensado muito sobre o que muitos Cristãos tem na cabeça, eu sinceramente fico imensamente chateado porque o mesmo povo que diz que possui a mente de Cristo é o mesmo povo que limita o pensamento pela religião e seus conceitos, nós estamos vivendo como todos sabem talvez um dos piores momentos da igreja de uma maneira geral no Brasil, tanto em relação a ortodoxia quanto em relação a disfunção de vida quanto ao que se diz, e fico impressionado com a criatividade religiosa que temos para 'espiritualizar' as coisas e diversos 'acontecimentos', e fico pensando sobre a vida 'humana' de certas pessoas que estão quase se tornando anjos, e em meio a toda essa bagunça religiosa repleta de ignorância me desculpe a palavra nós sequer paramos para ouvir alguns' rebeldes' por causa do sistema, nós trocamos a espiritualidade bíblica que diz a respeito sobre fruto pela espiritualidade ritualística, nós temos fraquejado em nossos evangelismos, com o argumento de envolver o cristão com a arte, nós tiramos a SERIEDADE do evangelho, nosso evangelismo nem sequer tem a menção de pecado, quando tem, falamos como se estivesse tratando de uma gripe e não de uma vida que está prontamente indo pro Inferno pelos seus pecados, dizemos tanto que amamos a palavra mas não a expomos corretamente, apenas perguntamos se a pessoa quer aceitar a Jesus, ora, que proposta boa! E na maioria das vezes nem explicamos quem Ele é, o que Ele fez e o que o homem é, e do que Ele carece. Na verdade toda essa realidade denuncia nossos métodos equivocados e nossa mensagem, pois muitos tem apresentado um deus e não O Deus, e esse deus não existe nas escrituras, e é bom lembrarmos que quando Paulo disse que o Evangelho é Poder, ele estava falando da mensagem das escrituras, não existe Evangelismo sem pecado, sem Cristo, sem Justificação, sem graça e principalmente sem Entendimento, e tudo isso contribui para a realidade que temos hoje, me perdoe irmãos mas existem homens que precisam descer dos púlpitos, existem homens que não são aptos para exercer tal função na Igreja de Deus, na atual conjuntura muitos tem ficado receosos quanto a pregar a Verdade por motivos até de escândalos, e com isso perdemos mais tempo corrigindo do que educando ainda que corrigir seja uma maneira de educar, porém nós desvalorizamos o ensino, até a maioria de nossos cultos possuem mais tempo de louvor do que ensino da palavra, e com isso temos uma geração superficial, menina, que é levada por qualquer vento de modismo e doutrina, uma geração que depois de um congresso fica dizendo que chegou um novo tempo, mas que nunca teve um encontro com Cristo, e o pior que parece que a mente dessas pessoas se embotaram, nós não ouvimos música do 'mundo' mas a nossa língua é fofoqueira, mentirosa e maledicente, essa geração diz que não faz tatuagens com o argumento de que o nosso corpo é templo do Espirito Santo mas faz coisas piores, e o problema é que agora tudo pode, estamos nos tornando a geração libertina onde ninguém lê a bíblia, temos uma geração alternativa, só que doente que não se dedica a devoção, nós realmente somos motivo de piadas porque somos uma sub cultura, o problema é que por dentro estamos podres e precisamos de arrependimento, oração e perseverança na doutrina assim como a Igreja de Atos, e principalmente de TEMOR, a geração que diz ser a do avivamento está mais pra apostata, carnal e mundana! Nós precisamos ser reeducados!

Que o Senhor nos ajude pois sei que ainda há os remanescentes!
Deus nos abençoe!




12 de nov de 2013

Há diferença entre pecado e pecado?

  Uma das grandes discussões nos círculos teológicos é entender a questão da diferença entre pecado e pecado, nós vemos na bíblia que o evangelista João fala que há pecado que é para a morte (1João 05:16), começando então desse verso cria-se toda uma tentativa de se estabelecer uma hierarquia de pecados que pode se tornar uma hipocrisia como a dos fariseus que conforme as palavras de Jesus "engoliam mosquito e coavam camelo", ou mesmo uma tentativa de guardar um 'sábado' que não corresponde com o mandamento maior que é o amor a Deus e ao semelhante, nós teólogos modernos temos criados uma espécie de "sábados" de várias qualidades, dogmas tão duros em nome de uma ortodoxia que não gera liberdade e vida. 
         Em toda a história da revelação começando pelo Gênesis nós vemos Deus tratar com o homem depois da queda sempre de forma pastoral e relacional e muito menos dogmática, assim a justiça de Deus emanava  de uma forma que o pecador tivesse consciência dos seus erros e sofresse as conseqüências, porém com espaço largo para o arrependimento e restauração do seu caminho. por Questão de peso e quantidade de pecados ele não chamaria Abraão, pois sabia de seus problemas morais, o PAI DA FÉ errou feio quando quis coabitar com Hagar, sua escrava, para gerar filho, nós chamaríamos isso de adultério (Gênesis 16:2), errou também quando mentiu a respeito do seu compromisso com Sara (Gênesis 20:2 ), em fim, temos ai erros que nós julgamos como pesado dentro do que entendemos ser cristianismo.
         Por questão de mais pecados o escolhido não seria Jacó o enganador, o que mentiu para roubar o direito de seu irmão (Gênesis 26), mas seria Esaú que era o primogênito. Dando um salto na história bíblia nós podemos comparar Saul e Davi, e se analisarmos friamente, Saul não cometeu tantos erros como Davi e nem tão pesados, O grande rei Davi além de adulterar conscientemente, Matou Urias, um fiel soldado marido legitimo de bate-seba de uma forma bastante covarde para tentar encobrir seus erros. 

         Tenho Utilizado somente esses exemplos entre muitos que poderia tirar das escrituras para falar que a questão do pecado está muito mais ligada a uma disposição de rebeldia no coração do que uma ação exterior em si que também não deixa de ser pecado, mas faz parte da questão humana em si. Saul era rebelde com ou sem pecados que pudéssemos ver, e Davi era quebrantado por mais que pudéssemos vê-lo pecando. Pedro negou 3 vezes, e Judas negou uma o traindo, os dois traíram, mas o tratamento foi diferente, O rebelde ao nosso olhar não seria Judas. Portanto Nós temos apenas que nos solidarizar com a miséria e fraqueza um do outro, pastorearmos uns aos outros, e esperar que Deus aplique a sua justiça, não podemos ocupar o lugar de Deus. A nossa noção de pecado não pode se deter a exterioridades, pecado é muito mais intenção e vida, do que mera ação exterior e visível.

10 de nov de 2013

‘All along the watchtower’ e uma lição sobre o significado da igreja.



Bem, essa é minha primeira postagem aqui no blog e motivo de me sentir mais que honrado por ter recebido o convite para ser colaborador. Quando me veio o convite já tinha em mente de inaugurar minhas participações com algo desse tipo, mas a inspiração veio definitivamente quando eu numa das minhas (muitas) noites de insônia escutava musica. Sempre gostei dos clássicos e Hendrix especificamente me fascina, ‘all along the watchover’ é uma das melhores musicas dele em minha opinião (na verdade a musica é do Bob Dylan, mas só fui saber ao procurar um pouco mais para fazer a postagem, para todos os efeitos, continua sendo do Hendrix! rs)

A letra é bastante profunda e propõe reflexões muito interessantes (aconselho a ler a letra no fim da postagem e após isso retomar a leitura linear!) sobre a perspectiva de um homem sobre a vida e sobre o poder. Não vou fazer uma exposição exegética da letra, mas apenas ressaltar alguns pontos.

A musica me fez pensar sobre nossas ‘culturas de gueto’, onde nos trancamos em nossas torres de vigia (watchtowers) e ficamos como que inertes ao restante do mundo, apenas observando como se fossemos mais certos que todo o restante do mundo e não pudéssemos ‘sujar’ nossas mãos. São guetos pentecostais, neo-pentecostais, tradicionais, neo-ortodoxos, reformados e daí por diante. Segregação sobre segregação, apenas aglomerando um bando de pessoas iguais e excluindo qualquer pessoa que não se pareça com o estereótipo de nossos grupos.

Vejo cristãos massacrando quem deveriam amar e abraçando quem deveriam se afastar, a questão é de puro interesse. Se alguém sabe um pouco mais sobre teologia é amado e ovacionado, se tem uma boa retórica se torna o centro das atenções. Enquanto as pessoas que não sabem tanto são escorraçadas e se tornam motivo de chacota. Quando vejo Jesus ensinando da mesma forma para uma adúltera e para um fariseu, percebo o quanto Ele foi grandioso e o quanto somos medíocres, julgamos pela aparência do alto de nossas torres de vigia, enquanto Ele foi lá e amou, saiu do trono, se fez carne e sangrou como um humano, enquanto os humanos fingem que não sangram para tentarem ser deuses uns para os outros.

Saiamos de nossas torres de vigias, da comodidade de nossos templos com ar-condicionado e musica bem feita e sejamos verdadeiramente igreja (que no grego, é traduzida como ‘chamados para fora’). Pessoas estão confusas e precisando de Deus enquanto falamos da gravata do diácono ou do ministro de louvor que desafinou. Disputamos quem tem a doutrina mais perfeita enquanto renegamos a ordem de Jo 3:35. Miseráveis homens que somos!
Paremos de falar hipocritamente e sejamos filhos de Deus, que demonstram Seu amor aos outros, falando com simplicidade, e que possamos um dia chegar ao nível dEle, de explicar o Reino com pássaros, lírios e sementes, de forma que pessoas fora de nossas torres de vigia entendam e conheçam este Louco Amor!

Vejamos a tradução da musica e pensemos sobre o quão medíocres temos sido, a ponto de Deus levantar uma letra forte como esta, tal qual uma espécie de pedra que clama:

Tudo ao longo da Torre Vigia
"Deve haver algum jeito de sair daqui,"
Disse o Coringa ao Ladrão.
"Há confusão demais,
Não consigo nenhum alívio."

Homens de negócio bebem meu vinho,
Aradores cavam minha terra,
Nenhum deles ao longo da linha,
Sabe o que isso vale.

"Não há razão para ficar excitado,"
O Ladrão bondosamente falou,
"Existem muitos aqui entre nós que sentem
Que a vida não passa de uma piada,

Mas você e eu, nós já passamos por isso,
E este não é nosso destino.
Então, vamos parar de falar hipocritamente,
Está ficando tarde."

Por toda a torre de observação,
Príncipes continuaram a olhar,
Enquanto todas as mulheres iam e vinham,
Criados descalços também.

Lá fora na distância,
Um gato selvagem grunhiu
Dois cavaleiros se aproximavam,
O vento começou a uivar.


Nossa cultura precisa ser redimida e não demonizada (mas isso é assunto para outra ou outras postagens! rs)
Que Deus continue nos sustentando com Sua graça!
Ass: David Bispo.

5 de nov de 2013

Jesus acalma a tempestade


Texto base: “Naquele dia, ao anoitecer, disse ele aos seus discípulos: Vamos para o outro lado. Deixando a multidão, eles o levaram no barco, assim como estava. Outros barcos também o acompanhavam. Levantou-se um forte vendaval, e as ondas se lançavam sobre o barco, de forma que este foi se enchendo de água. Jesus estava na popa, dormindo sobre o travesseiro. Os discípulos o acordaram e clamaram: Mestre, não te importa que morramos? Ele se levantou, repreendeu o vento e disse ao mar: “Aquieta-se! Acalma-se! O vento se aquietou, e fez completa bonança. Então perguntou aos seus discípulos: Por que ainda não tens fé? “Eles se apavorado perguntavam uns aos outros: Quem é este que até o vento e o mar lhe obedecem” MC. 4.35-41.
Introdução: O mundo ficou perplexo e abalado diante da grande tragédia que se abateu sobre a Indonésia no final do ano de 2004. Ondas gigantes, vindas do mar, os tsunamis, varreram cidades litorâneas daquele país e de outros. De um minuto para outro, cidades encantadoras e paradisíacas, que atraíam turistas do mundo inteiro, tornaram-se num montão de lixo e lama. Artigos de luxo, jóias, carros e mobílias requintadas se tornaram em entulho, numa questão de poucos minutos. Mais de cem mil pessoas morreram pela fúria do mar. Assim como há tragédias naturais há também tragédias pessoais. Assim como há tragédias que sacodem a natureza, há tragédias que sacodem os alicerces da nossa vida. As tempestades da vida podem nos abalar, mas não podem nos destruir. Elas podem frustrar os nossos planos de Deus. Elas podem nos tirar coisas temporais, mais jamais nos impedirão de tomar posse da nossa herança eterna.

Mas o que acontece é quando a obediência te leva para o olho da tempestade, pra olho do furacão. Uma coisa e quando você estar na tempestade por desobediência assim como Jonas. Mas os discípulos enfrentaram uma tempestade porque obedeceram a uma ordem expressar de Jesus. “Vamos para outro lado”. Eles estavam no centro da vontade de Deus, mas os ventos eram contrários, eles estavam fazendo aquilo que Jesus fazer, estava onde Jesus mandou estar, mas mesmo assim estavam no meio da tempestade. “Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que temem a Deus, de acordo com o seu propósito”. Romanos 8.28. A tempestade faz parte da grade curricular de Deus, você necessita passar na tempestade, se você nunca passou se prepare para passar.

Esse texto ele e regido por três perguntas:
1º. Mestre, não te importa que perecemos? Essa pergunta e dos discípulos para Jesus.
2º . Não tenhas fé? Essa pergunta e de Jesus para os discípulos.
3º. Quem e esse que ate o vento e o mar lhe obedecem? Essa pergunta e dos discípulos entre si.

1º Mestre, não te importa que perecemos? Essa pergunta surge não como o pedido de ajuda mais como um tom de critica, como podes estar a dormir, enquanto nos perecemos aqui, o silencio de Deus incomoda em meio as circunstâncias, A demora de ter a nossa necessidade atendida, isto nos incomodar. No capitulo 11 de João, relata o texto bíblico que agora Lazaro amigo de Jesus estava doente e no verso 3 , Jesus recebe a mensagem, “Senhor aqueles que ama esta doente”, não precisava dizer mas nada. Pois quem ama tem pressa. Em outras palavras vem ter conosco, pois não existe mais solução, da aldeia para onde Jesus se encontrava, eram um dia de viajem, quando o mensageiro, tivesse ido e voltasse já fazia dois dias, Ele disse essa doença não e para a morte, mas para a glória de Deus. E no verso 11, Jesus usa uma figura de linguagem Eufemismo, para transmitir a morte de Lazaro, “Lazaro dorme”. E agora Jesus vai aldeia de Betânia, Marta foi encontrá-lo, Ela agora conjuga o verbo no passado, “Senhor se estivesse aqui meu irmão não teria morrido”, ou seja, Senhor chegasse tarde, e Jesus lhe diz: “teu irmão a de ressuscitar”, ela agora conjugar o verbo no futuro, “Sei que ele há de ressuscitar, no ultimo dia “. Jesus disse: “ Eu sou a ressurreição e a vida”. Eu não fui, eu não serei, eu sou...Sou Deus que pode intervir na tua vida hoje, nesta tempestade que estais passando pois já dizia no livro de Naum 1 v3: O senhor tem seu caminho em meio a tormenta.

2º Pergunta: Ainda não tens fé? Diante da circunstâncias eles (discípulos) se esqueceram de três coisas:
• a presença de Jesus (4.36).,
• a paz de Jesus (4.38).
• o poder de Jesus (4.39).
A presença de Jesus: O salmista diz: Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum. Isaias. 43:2. Quando passares pelas águas eu estarei contigo, quando atravessares os rios, eles não te surbmegiram. Quando passares pelo fogo, chama nehuma ardera em ti.

3º Quem é esse?
Essa pergunta continua em nossos dias. Cada um define de sua maneira, de acordo com a filosofia. O Judaísmo afirma que Jesus foi um falso profeta e até hoje esperam o messias. O islamismo nós afirma que Jesus era mais um profeta como os outros. O budismo nós afirma, que Jesus era um iluminado. O espiritismo nos afirma, que Jesus e um espírito evoluído, que passou por diversas reecanações.
Mas o meu é o teu Jesus ele é muito mais que isso,. Eu vou te dizer quem ele é!
Em MT.1:23 Ele é o Emanuel “Deus conosco”
Em MC.1.8 Ele é o que batiza com espírito santo e com fogo.
Em LC. 3.22 Ele o filho amado a quem o pai tem prazer.
Em Jo. 14.6 Ele é o caminho a verdade e a vida. Em AT.1.11 Ele é aquele virá sobre as nuvens com poder e glória.
Em Rm.3.24 Ele é aquele que nós justificar. Em 1 cor. 15.14 Ele é aquele que ressuscitou ao terceiro dia.
Em 2 cor. 5. 10 Ele é aquele que estará no tribunal para julgar as ações dos homens, sejam bem ou mal. Em EF. 5.23 Ele é o cabeça da igreja. Em FP. 2.8 Ele é aquele que foi exaltado soberanamente e tem um nome que está acima de todo nome, para que no nome de Jesus todo joelho se dobre e toda língua confesse que Jesus é o Senhor. Em HB. 3.8 Ele é o mesmo, ontem, hoje e sempre será.
Em TG. 5.4 Ele é o Senhor dos Exércitos. Em 1 PE 1. 18 e 19 Ele é aquele que nós, comprou não com ouro, com prata, ou com coisas corruptíveis, mas com seu sangue precioso na cruz.
Em 2 PE 3.8 Ele o Senhor poderoso que para um ele um dia e como mil anos e mil anos e como dia. Em 1 JO. 2.1 Ele é o nosso advogado. Em 1 JO.3.8 Ele é aquele que se manifestou para desfazer as obras do diabo.
Em 2 JO 2.7 Ele é aquele que veio em carne. Em 3 JO. Ele é o amado da igreja. Em JD v4 Ele é o único e o soberano Senhor. Em AP. 1.8 Ele é o alfa e o ômega, o principio e o fim.
]Em Ap. 1.18 Ele é aquele que tem as chaves da morte e do inferno
Em Ap. 5.5 Ele e o leão da tribo de Judá. Em Ap. 11 e 19 Ele é aquele cujo o rosto brilha como sol do meio dia, seus olhos são como chamas de fogo, Ele esta vestido de linho fino branco, seus pés são como o latão reluzente, sua voz como de muitas água, Ele tem um cinto de ouro em sua coxa esta escrito “Rei dos reis e Senhor dos senhores. Em Gn. 3.15 Ele e aquele que veio para esmagar a cabeça da serpente.
Em Is. 9.6 Ele é maravilhoso, conselheiro, Deus forte, príncipe da paz, pai da eternidade.
Para nós ele mais que um profeta, e mais do que um espírito evoluído, ele mais que um grande mestre moral. Ele é Deus , se ele e Deus e digno de gloria, de honra, majestade, hoje e para todo sempre.

(Baseado no livro de Hernandes Dias Lopes, “O evangelho de Marcos”)