29 de jul de 2015

Foi Namorar Perdeu o Lugar! Será?

Meu Texto de hoje bem curto é sobre Namoro ou sobre o conceito de relacionamentos na juventude e como de fato fazer uma boa aplicação da ética-cristã puxando para essa dimensão da vida que me parece muito importante hoje as pessoas terem uma boa orientação sem tabus ou moralismos. Tenho bastante medo de certas ditaduras de formas que são impostas nos círculos de debates que se pretendem ser teológicos, longe de min dizer essa ou aquela forma seria a certa e outras não, colocarei visões como opiniões minhas conforme o que eu vejo na escritura.
Não havia nada parecido com o namoro como nós vemos hoje  nas culturas antigas, fica difícil dizer como e quando o jovem deve ou não se relacionar porquê nos tempos de Jesus por exemplo casava-se cedo, no que chamamos hoje de adolescência, aonde as disposições físicas, sociais, culturais, e financeiras ja eram bem resolvidas não havendo maiores problemas nos arranjos familiares. Era tudo mais simples não havia grandes discussões sobre isso, dito isso gostaria de colocar uns pontos que vejo importante sobre isso no sentido de ajudar a cada um formar sua visão. 
      Independente do contexto bíblico a prática sexual entre as pessoas se dava dentro de um compromisso, o nome que isso tem varia de acordo com a cultura, o que é mais importante ressaltar é que não se tinha relações sexuais com qualquer pessoa e largava pra lá, que a família sabia, e que essa relação era impensável terminar se não fosse o caso da outra parte falecer.
      Muitas vezes as pessoas não relevam que hoje com as mudanças na vida social as pessoas não podem mais casar cedo, não tem condições de casar principalmente por questões financeiras. Se há anos atrás o homem com uns 20 anos mantinha sozinho um lar com filhos hoje já não é mais possível. Por isso vemos pessoas casarem com 30 e poucos, causando uma assimetria em  relação aos desejos sexuais que já estão acontecendo desde os 14 ou 15 anos. Me parece ai uma hipocrisia de alguns que descem a marreta e batem o pé com tom de condenação nos jovens que além de viver a pressão dos próprios desejos normais em sua faixa etária, sofrem com a pressão da cultura altamente hedonista seduzindo a pessoa para todo lado. 
      O impulso sexual é tão fundamental que a pessoa vai buscar alguma maneira de expressá-lo, nem que seja da menor forma possível, faz parte. O máximo que se pode recomendar é se orientar de forma a canalizar aquelas energia para alguma outra coisa, mas isso tem prazo de validade. 
      Acho que Devemos sim buscar o ideal de Deus para nossas vidas, aquilo que contribui para o caráter, existe sim condições de ser santo sem ser moralista arrogante, e sem desistir e largar pra lá, vivendo uma vida feia, libertina, danosa para alma. Mas devo dizer que Deus não tem nenhum obsessão com isso, se fosse o caso ninguém passaria, porquê eu vejo na história bíblia tantos homens com problemas muito mais sérios nessa área e que não foram privados da graça. Alguém pode ler isso e achar que com isso eu esteja relativizando as coisas, mas acima eu disse sobre a importância de se buscar o Ideal de Deus, que de fato é o melhor, é mais saudável.
      Todas as verdades devem ser vistas com os olhos da graça, acho que é central entender isso, que ninguém de fato sincero será privado de desfrutar e um genuíno relacionamento com Deus,  que a vida é sempre mais importante, que há sempre caminho para Deus aonde a religião fecha.

Coisas a Acrescentar e a criticar, deixe nos comentários.

Paulo Gustavo










23 de jul de 2015

Cristãos à Esquerda, O que pensam eles?

   
       Gostaria de expressar opiniões oriundas de incômodos meus a  respeito de muitos pastores que têm opinado sobre política, economia, problemas sociais ou coisas que o valham. Não quero afirmar uma desonestidade baseado em suas opiniões e visões, nem sempre é isso, acredito que o brasil é carente ainda de um debate, de leitura, e cultivo de idéias entre os diversos modelos econômicos e políticos, pois vivemos numa hegemonia de pensamento estatista-coletivista há muito tempo, a democracia brasileira ainda é uma criança e creio que podemos e devemos tomar a frente para que ela se desenvolva bem.
     Vou pontuar rapidamente burrices que o debate com pastores esquerdistas-estatistas nos impõem em seus textos, livros, postagens e comentários e que eu fico com certa preguiça de falar, as vezes é insuportável ficar lendo comentários sobre política vindo de certos Pastores que admiro muito em que sempre aprendi com eles. Apesar de alguns considerarem eu não os vejo como hereges, eu os chamaria de desinformados ou burros mesmo, dá pra ver que eles não sabem nada de economia.
     1° Quando falarem de pobres ou ricos, conceituem economicamente o que é pobre e rico no brasil, todos os pastores que vejo falarem de pobres e ricos usam conceitos do marxismo classista, e não da economia aonde você tem que fazer conta estatística. Outra coisa que vejo e sinto é que eles acham que existem muitos ricos no Brasil, tipo lista da Forbes (Brasil não tem tantos ricos assim), também vejo que eles falam de pobres como se esses tivessem passando fome ou coisa do tipo miserável, tudo isso por falta de critério em definir uma coisa e outra pela economia e não por abstrações da sociologia.
     2° Depois do Primeiro erro em definir rico e pobre com critério aceitável  os outros são consequências, eles acham que a causa da pobreza é a riqueza, ou sejam, eles erram em definir o que é rico e pobre no brasil e ainda colocam a culpa da pobreza na riqueza com a  teoria marxista da exploração( que já foi refutada por outros que eles não leram)
     3° Depois das diarreias conceituais anteriores aonde eles ainda apontam uma solução para o conflito entre "ricos" e "pobres" que precisa de um estado promotor do "bem" e da tal "Justiça social", Bom o mínimo estudo de todos os países que se desenvolveram é que o papel do estado era limitado a saúde, educação, segurança e leis. Isso significa que o Estado não tinha empresas, não fazia papel de pai das pessoas tirando de uns e dando a outros, entre outras coisas que marcam fortemente o estado brasileiro altamente patrimonialista-corporativista. 
     
    Ainda quero muito acreditar que esses Pastores não conhecem conceitos como o de livre mercado, estado mínimo, escassez econômica e coisas do tipo. Ainda quero acreditar que a burrice deles é fruto de anos de doutrinação e de falta de informação. Até pouco tempo atrás eu pensava como eles, então quero dar esse desconto. Quem sabe um dia me encontre com eles e tenha um debate em que possa falar-lhes pessoalmente.








22 de jul de 2015

Resenha da Obra " A biblioteca de C.S Lewis"

   
 C.S Lewis foi um dos pensadores cristãos mais influentes e respeitados em seu tempo pela sua trajetória de vida que teve seu inicio como um ateu militante, mas que por investigações próprias se vira rendido ao evangelho, passando a ser um dos literatas, cronistas, e debatedores mais importantes na defesa do cristianismo quando a Europa era assolada pela descrença ateísta-relativista. Tão importante quanto ler sua obra é também saber as leituras que influenciaram essa mente tão criativa e tão brilhantes Quais foram as fontes em que C.S Lewis bebeu? quais autores foram objeto de suas investigações? Essa obra é uma reunião de textos que mais impactaram a vida intelectual/espiritual de Lewis servindo de faróis em sua caminhada e na sua busca.
     Nessa obra com cerca de 360 páginas vemos textos Diversos de autores dos mais diferentes, não se consegue ver uma linha que identifique esse e aquele autor. Poetas, Místicos, clássicos da Filosofia, da Teologia, textos jornalísticos e tantas obras soltas compõem todo o livro. Os Temas abordados por tantos autores falam de verdade fundamentais no cristianismo, espiritualidade contemplativa, abordagem sobre o problema do sofrimento, céu, a natureza do amor de Deus, amor eros, e outros tantos assuntos. Percebemos que as áreas de interesse de Lewis são de natureza mais existencial humana do que meramente dogmática e sistemática, Sua biblioteca é repleta de textos não ligados a temas necessariamente cristãos, mas muito de natureza humana e suas ambiguidades e de como o cristão vive essas ambiguidades.
    Gostaria de Recomendar Esse livro que representa para min uma introdução ao mundo desse profícuo escritor/pensador, e de quebra ter um micro-curso de pais da igreja, reforma, espiritualidade cristã, apologética, e poesias. Com essa obra aprendo que faz parte da caminhada de qualquer que se proponha a trabalhar com a teologia de também ter um repertório dentro das artes, filosofia, linguagem, e outros tipos de conhecimento que não apenas a bíblia ou a tradição cristã.


História de C.S Lewis

Obs:  A referida Obra pertence a Editora Mundo cristão

Paulo Gustavo