29 de jul de 2015

Foi Namorar Perdeu o Lugar! Será?

Meu Texto de hoje bem curto é sobre Namoro ou sobre o conceito de relacionamentos na juventude e como de fato fazer uma boa aplicação da ética-cristã puxando para essa dimensão da vida que me parece muito importante hoje as pessoas terem uma boa orientação sem tabus ou moralismos. Tenho bastante medo de certas ditaduras de formas que são impostas nos círculos de debates que se pretendem ser teológicos, longe de min dizer essa ou aquela forma seria a certa e outras não, colocarei visões como opiniões minhas conforme o que eu vejo na escritura.
Não havia nada parecido com o namoro como nós vemos hoje  nas culturas antigas, fica difícil dizer como e quando o jovem deve ou não se relacionar porquê nos tempos de Jesus por exemplo casava-se cedo, no que chamamos hoje de adolescência, aonde as disposições físicas, sociais, culturais, e financeiras ja eram bem resolvidas não havendo maiores problemas nos arranjos familiares. Era tudo mais simples não havia grandes discussões sobre isso, dito isso gostaria de colocar uns pontos que vejo importante sobre isso no sentido de ajudar a cada um formar sua visão. 
      Independente do contexto bíblico a prática sexual entre as pessoas se dava dentro de um compromisso, o nome que isso tem varia de acordo com a cultura, o que é mais importante ressaltar é que não se tinha relações sexuais com qualquer pessoa e largava pra lá, que a família sabia, e que essa relação era impensável terminar se não fosse o caso da outra parte falecer.
      Muitas vezes as pessoas não relevam que hoje com as mudanças na vida social as pessoas não podem mais casar cedo, não tem condições de casar principalmente por questões financeiras. Se há anos atrás o homem com uns 20 anos mantinha sozinho um lar com filhos hoje já não é mais possível. Por isso vemos pessoas casarem com 30 e poucos, causando uma assimetria em  relação aos desejos sexuais que já estão acontecendo desde os 14 ou 15 anos. Me parece ai uma hipocrisia de alguns que descem a marreta e batem o pé com tom de condenação nos jovens que além de viver a pressão dos próprios desejos normais em sua faixa etária, sofrem com a pressão da cultura altamente hedonista seduzindo a pessoa para todo lado. 
      O impulso sexual é tão fundamental que a pessoa vai buscar alguma maneira de expressá-lo, nem que seja da menor forma possível, faz parte. O máximo que se pode recomendar é se orientar de forma a canalizar aquelas energia para alguma outra coisa, mas isso tem prazo de validade. 
      Acho que Devemos sim buscar o ideal de Deus para nossas vidas, aquilo que contribui para o caráter, existe sim condições de ser santo sem ser moralista arrogante, e sem desistir e largar pra lá, vivendo uma vida feia, libertina, danosa para alma. Mas devo dizer que Deus não tem nenhum obsessão com isso, se fosse o caso ninguém passaria, porquê eu vejo na história bíblia tantos homens com problemas muito mais sérios nessa área e que não foram privados da graça. Alguém pode ler isso e achar que com isso eu esteja relativizando as coisas, mas acima eu disse sobre a importância de se buscar o Ideal de Deus, que de fato é o melhor, é mais saudável.
      Todas as verdades devem ser vistas com os olhos da graça, acho que é central entender isso, que ninguém de fato sincero será privado de desfrutar e um genuíno relacionamento com Deus,  que a vida é sempre mais importante, que há sempre caminho para Deus aonde a religião fecha.

Coisas a Acrescentar e a criticar, deixe nos comentários.

Paulo Gustavo










0 comentários:

Postar um comentário