4 de set de 2016

The Big True is...

  Pensando sobre a verdade e seu significado, eu tenho chegado a conclusão que ela nos cerca, nos envolve, está sempre diante de nós sorrindo, muitas vezes esbarramos e não nos damos conta que é ela que tanto fugimos e ao mesmo tempo procuramos. Fugimos porque sabemos que no fundo a verdade não nos agrada, e procuramos no sentido de que queremos algo quem sabe agradável ao nosso apetite pós-moderno. Na verdade a pós-modernidade vive uma relação bipolar com a verdade, um relacionamento de amor e ódio, muitas pessoas afirmam como absoluta, e outras vamos ver ela sendo relativizada, isso vai depender muito do interesse individual, pois pouquíssimos comprarão o pacote completo, a maioria vai personalizar, customizar, tentar converter a verdade aos seus caprichos.
 
   Nós temos pregado o nosso evangelho para a verdade, pedindo que ela se converta a nós, e que ela se adapte a nós, queremos o nosso desejo sendo cumprido nela sem nenhuma crise. Essa geração quer ter o direito e a liberdade de crer em muitas verdade ao mesmo tempo sem serem acusados pelos "quadrados" de contraditórios, ai de quem dizer que eles não podem. Assim caminhamos, infantis homens, anões espirituais, pigmeus na vida e na existência,  pois cultivam uma vida plástica e não funcional para o que ela de fato deve ser. Preferimos a estética ao invés da ética.
   Não podemos represar a verdade colocando barreiras para ela, sob pena de que essas "proteções" que colocamos caiam sobre nós, nos atropelando e nos fazendo mal. A verdade aparece como ensino para nos precaver, mas também como juízo para nos punir, nos repreendendo, ambos os casos são saudáveis, mas devemos buscar o ensino, a educação na justiça, percebendo as coisas e aplicando-as em nosso cotidiano, plantando uma nova mentalidade, e consequentemente uma vida redimida.
  Espero que não tenhamos a mesma reação de Nicodemos diante de Jesus, cuja história está em João 3. O respeitado fariseu, veio até Jesus com atitude modesta e honesta, querendo aprender a natureza do ensino de Jesus, mas saiu confuso,  com mais perguntas ainda, pois não esperava ter suas crenças colocadas em cheque por algumas palavras que Jesus colocou sobre o Reino de Deus, ou seja, estava tão hipnotizado e focado em si, e não viu a verdade passar debaixo de suas barbas, perdendo assim a oportunidade de beijá-la e abraçá-la. Tomara que ele tenha pensado melhor e se convertido.
    É difícil falar de verdades hoje, mas é esse talvez o nosso maior chamado, de indicar o caminho sólido e consistente para que as pessoas se inspirem e se motivem na busca, na reflexão séria sobre a vida, e não comprando pacotes de viagens bem "viajosas" que nos levam para lugares comuns. Temos que afirmar que Jesus é a verdade, ele é o porto mais do que seguro, pois aquele que vai até ele, de maneira alguma é lançado fora de sua presença.

0 comentários:

Postar um comentário